O tenista espanhol Rafael Nadal defendeu hoje que ele e o seu arquirrival suíço Roger Federer ainda vão competir ao mais alto nível durante muitos anos.

"O Roger e eu não esquecemos como se joga ténis e estamos a trabalhar para voltar a competir ao mais alto nível", frisou o espanhol, na apresentação da sua academia de ténis que contou com a presença do suíço.

Rafael Nadal e Roger Federer, dois dos mais bem-sucedidos tenistas da história, têm-se debatido com problemas físicos, ocupando neste momento o sexto e oitavo lugares do 'ranking', respetivamente.

Enquanto o suíço, a recuperar de uma lesão no joelho esquerdo, já anunciou que só voltará aos 'courts' em 2017, o espanhol assumiu que ainda não tomou uma decisão sobre se jogará ou não mais algum torneio esta temporada, nomeadamente as ATP Tour Finals.

"Às vezes, continuar a jogar não é a solução. Às vezes, a solução é parar e reformular o plano de treinos", acrescentou.

O tenista maiorquino, de 30 anos, apresentou a nova academia em Manacor, a sua terra natal, composta por 26 'courts' de terra batida, um centro fitness, duas piscinas e dez campos de padel.

"Estamos muito entusiasmados por ter criado algo especial em Manacor, é um sonho tornado realidade", assumiu.

Protagonistas de uma das maiores rivalidades desportivas da última década, Nadal, vencedor de 14 torneios de 'Grand Slam', e Federer, recordista de títulos em 'majors' (17), mostraram hoje a boa relação que os une, trocando elogios.

"Se não tivesse tido Roger como adversário durante a minha carreira, provavelmente teria ganhado mais torneios e teria sido número um mais tempo", respondeu o espanhol quando questionado sobre o impacto que o helvético teve na sua trajetória profissional.

Já Federer, que fez questão de estar na inauguração da academia do seu 'rival', sublinhou que sempre houve um grande respeito entre ambos.