O OC Barcelos apresenta-se hoje (17 h) na Luz com uma missão complicada perante o campeão europeu Benfica. A magra vantagem (5-4) dos vencedores da Taça CERS não é confortável, perante um adversário que é sempre um dos favoritos em todas as competições, designadamente na discussão desta Taça Continental.

O experiente e carismático Reinaldo Ventura, um dos trunfos do OC Barcelos, espera dificuldades: "Vai ser extremamente complicado. O Benfica é campeão europeu e favorito, joga em casa e quer anular a desvantagem. O nosso papel é lutar e sairmos satisfeitos. Vamos com tudo para conquistar o troféu", revelou o avançado.

O hoquista lamentou a vitória escassa em Barcelos: "Estamos preparados para sofrer, mas muito unidos. E para alguma equipa nos ganhar tem de querer mais que nós, pelo que vamos fazer tudo para querer ainda mais. Se alguém duvida da capacidade do Benfica, é porque nunca jogou contra estes jogadores, que podem decidir a qualquer altura e num curto espaço de tempo. Não acredito em maus momentos ou fragilidades do adversário. Mas somos ambiciosos e queremos voltar a pôr o OC Barcelos no patamar de há alguns anos. O apoio é incansável", adiantou o internacional.

Ventura está ansioso por vencer a Taça Continental: "Seria um ano excecional. Já ganhei dois títulos europeus, que até há pouco tempo acharia impensável conquistar. Apesar de estar a ser um ano muito bom, pode ser um ano ainda melhor."

Em declarações à BTV, Pedro Nunes, treinador do Benfica, não quer dar chances ao OC Barcelos: "Houve muito tempo para pensarmos na Taça Continental. O adversário está identificado, sabemos a importância do jogo, sabemos que é uma competição para conquistar e o que temos de fazer para a ganhar. Agora há que comprovar isso nos próximos 50 minutos, perante os adeptos."

Também o hoquista espanhol Jordi Adroher diz que o Benfica vai retificar: "Estamos focados em ganhar a Taça Continental. Estudámos o rival, o jogo em Barcelos e aprendemos com os erros. Temos tudo preparado para ganhar o duelo", mesmo numa "semana um pouco dura", devido à sobrecarga de jogos.


Autores: Alexandre Reis e Humberto Ferreira