Os famosos irmãos Santos dominaram esta quinta-feira as atenções na segunda jornada do Solverde Campeonato Nacional PGA, em Espinho. Ricardo Santos, de 34 anos, assinou o melhor resultado da segunda volta, em 66 pancadas, 5 abaixo do Par do Oporto Golf Club, num dia em que só sofreu 1 bogey e carimbou 6 birdies. Mas foi o seu irmão mais velho, Hugo Santos, de 36 anos, que assumiu o comando da prova sancionada pela Federação Portuguesa de Golfe (FPG) e organizada pela PGA de Portugal, distribuindo 12.800 euros em prémios monetários.

Com duas voltas sólidas, de 66 e 69 pancadas, Hugo Santos saltou de 2º para 1º, com 135 (-7), mostrando que não foi por acaso que se sagrou campeão nacional em 2012 e que conquistou por três vezes o Campeonato da Europa de profissionais de clube.

"Estou satisfeito com o meu desempenho, sobretudo tendo em conta a dificuldade dos greens, porque são bastante rápidos e não estou muito habituado. Os meus shots do tee têm saído muito bem e o resultado de hoje foi bom, tendo em conta os ‘shots’ que hoje dei ao green, porque ontem estive bem nesse capítulo mas hoje não", disse Hugo Santos, nada impressionado com o facto de ter "à perna", a apenas 1 pancada de distância, dois 2º classificados que já ganharam torneios do European Tour, Ricardo Santos e Filipe Lima.

Lima, um português residente em França, de 34 anos, a jogar apenas pela segunda vez o Solverde Campeonato Nacional PGA, subiu de 3º para 2º depois de duas voltas de 68 e diz que "amanhã tudo é possível e se os putts começarem a entrar…".

"Normalmente tento focar-me mais em mim e menos nos outros participantes – frisou Hugo Santos – e esteja quem estiver no campo, para mim é pouco relevante. Acho que essa é a forma de encarar o jogo".

Tiago Cruz, o bicampeão nacional, que liderava após uma histórica primeira volta de 64 (-7), desceu ao 4º lugar, ao não conseguir melhor do que 73 (+2). Saiu bem, com birdie no 10, mas depois viveu um pesadelo, com bogeys nos buracos 11, 13, 14 e 16, e ainda 1 duplo-bogey no 15.

Apesar de visivelmente irritado, Tiago Cruz, de 34 anos, reagiu bem, com birdies no 18, 3 e 5, e ainda 1 eagle no 2. Estava claramente a recuperar, mas um 2º duplo-bogey no 6 atirou-o para o 4º lugar, com 137 (-5).

Mesmo assim, como pode ver-se, os quatro primeiros classificados estão separados por escassas 2 pancadas. Tudo é possível na última volta.

"Já se adivinhava o equilíbrio antes do torneio começar, tendo em conta a lista de inscritos e confirma-se que amanhã será um último dia apertado", constatou Hugo Santos.

No torneio feminino que hoje começou, a campeã nacional, Susana Ribeiro, deverá ter dito adeus ao título ao entregar um cartão de 79 (+8). Recusou apresentar desculpas, mas sabe-se que sofreu uma intoxicação alimentar na madrugada de quarta-feira e esteve quase para desistir do torneio.

Leonor Bessa, de 18 anos, comanda com 73 (+2) e poderá tornar-se na primeira amadora a vencer este torneio, mas Mónia Bernardo, a campeã nacional de 2014, está a apenas 2 pancadas.

Na competição de seniores, Elídio Costa vai na frente com 79 (+8), mas o campeão nacional, Joaquim Sequeira vem logo atrás com 80 (+9). Elídio Costa, de 56 anos, está pela primeira vez a jogar nos veteranos e no ano passado obteve uma boa 23ª posição no torneio principal.

Autor: Hugo Ribeiro