Peter Sagan (Tinkoff) 'bisou' esta quinta-feira no Eneco Tour, ao conquistar a quarta etapa da prova, à frente de um pelotão onde estava o português Nelson Oliveira (Movistar), e vestiu a camisola de líder.

Sagan voltou a demonstrar ser mais forte do que a 'maldição do arco íris', conquistando a 13.ª vitória da temporada diante do alemão André Greipel (Lotto Soudal) e do norueguês Alexander Kristoff (Katusha).

Nelson Oliveira, que cumpriu os 201,4 quilómetros entre Aalter e Leeuw-Saint-Pierre em 4:42.12 horas, testemunhou no pelotão o triunfo do novo campeão europeu, que esta temporada desmistificou quer o epíteto de eterno segundo, quer a 'maldição' que alegadamente recai sobre o campeão do Mundo durante os meses em que enverga a camisola 'arco-íris', impedindo-o de ganhar.


Com a vitória de hoje e graças às bonificações, Sagan subiu ao primeiro lugar da geral, por troca com o australiano Rohan Dennis (BMC), que agora é segundo, a sete segundos. Em terceiro lugar, a 12 segundos, está o holandês Jos van Emden (LottoNL-Jumbo).

O português da Movistar é 20.º da geral, a 29 segundos, com Mário Costa (Lampre-Merida), que hoje perdeu 3.38 minutos, a ocupar a 120.ª posição, a 5.02 minutos de Sagan

Na sexta-feira, o pelotão cumpre a quinta etapa do Eneco Tour, um contrarrelógio por equipas de 20,9 quilómetros em Sittard-Geleen.

Autor: Lusa