André Cardoso vai correr na Trek-Segafredo na próxima temporada, com o ciclista português a explicar esta sexta-feira que o adeus à Cannondale significa o fim de um ciclo.

"Tenho a agradecer à Cannondale, que foi a equipa que me colocou no WorldTour. Foram três anos fantásticos, trabalhei com grandes líderes como o Ryder Hesjedal, o Rigoberto Uran e o Andrew Talansky. Tentei sempre fazer o melhor possível no apoio aos líderes e acho que isso acaba por resultar nesta transição", começou por dizer André Cardoso.

O trepador português salientou que a mudança para a Trek-Segafredo representa um ciclo que termina e mostrou-se entusiasmado por poder trabalhar na próxima temporada com Alberto Contador e Bauke Mollema.


"Acho que faz parte do crescimento de um ciclista como eu e isso motiva-me para continuar a trabalhar", confessou à Lusa o corredor de Gondomar, de 32 anos, que terá como colega de equipa o também português Ruben Guerreiro, campeão nacional de sub-23.

Cardoso, que esta temporada foi 14.º na Volta a Itália, assumiu que o facto de a Trek estar a reforçar-se bastante, principalmente para as grandes voltas, pesou na sua decisão.

"Sendo eu um ciclista talhado para as [provas de] três semanas, acaba por ser motivador trabalhar para um ciclista que já ganhou a Volta a França [Contador], por exemplo", completou.

Em comunicado, o manager da formação norte-americana, Luca Guercilena, realçou o historial do português em grandes voltas, recordando que terminou todas as suas presenças no top 20/25.

"As suas prestações sólidas a este nível tornam-no um excelente reforço para os nossos candidatos à geral, nomeadamente Contador e Mollema. Estou confiante que a sua ajuda na montanha vai ser valiosa para eles e para toda a equipa", defendeu.

Autor: Lusa