A vitória, em Sines, perante a Bielorrússia, na derradeira jornada de qualificação para o Euro’ 2017, marcou a despedida de Mário Palma do comando da Seleção. No cargo desde 2011, o experiente treinador – o mais titulado do desporto nacional – vai prosseguir a carreira na Tunísia, mais concretamente ao serviço do Club Africain, formação que já guiou à conquista do título nacional na temporada passada, coadjuvado por Vasco Curado, técnico que já se encontra na Tunísia, pois o campeonato vai para a quarta jornada.

"Estou de férias, mas é verdade que vou regressar à Tunísia e que estou de saída da Seleção Nacional. Ainda vou falar com os responsáveis da Federação, mas essa decisão está tomada", confessou Mário Palma, quando questionado sobre o seu futuro imediato.

Tendo em conta a mudança das datas dos compromissos das Seleções, Mário Palma deixaria de estar em condições de – a partir desta época – conciliar a atividade num clube com a da Seleção lusa. E esta, claro, é uma das razões para sair. De resto, sabe Record, o treinador tem convites para, a breve prazo, poder assumir o controlo de outras seleções, equipas com potencial para marcar presença nos grandes eventos internacionais. Algo que é improvável para Portugal, face à ausência de atletas de topo e à forte probabilidade dos valores emergentes (Francisco Amiel, Diogo Brito ou Daniel Relvão, por exemplo) estarem impossibilitados de representar a Seleção nos próximos tempos devido aos compromissos com as universidades norte-americanas em que alinham.


A Federação – que desejava a continuidade de Palma – ainda não iniciou contactos para encontrar substituto. Contudo, o nome de Norberto Alves (da estrutura dos angolanos do Libolo) pode ganhar força. Certo é que a Seleção disputará em 2017 a fase de pré-qualificação para o Mundial de 2019.

Autor: Luís Avelãs