João Sousa, jovem central do Sporting da Horta que caiu inconsciente logo ao terceiro minuto da deslocação do emblema do Faial à Maia, para defrontar o ISMAI, na quarta-feira, encontra-se "com vida, num quadro clínico estável", de acordo com um dirigente da equipa, mas ainda internado nos cuidados intensivos do Hospital São João, no Porto, onde se encontra desde o dia do jogo, com prognóstico reservado (ver peça ao lado).

O jovem luso-brasileiro, que se mudou ainda em criança de Minas Gerais para Santarém, onde passou toda a infância e a sua família continua a viver, perdeu os sentidos ao sofrer uma paragem cardíaca quando se dirigia para o banco após cometer uma falta, que lhe valeu uma exclusão de dois minutos. Apenas a rápida intervenção do INEM tornou possível que o atleta de 21 anos chegasse à unidade hospitalar com vida.

Fonte da Federação assegurou a Record que todos os atletas inscritos nas equipas dos campeonatos da modalidade cumprem as regras do Instituto Português da Juventude e do Desporto (IPDJ), que determinam que todos os jogadores devem realizar o denominado ‘exame médico-desportivo’ antes de obterem a licença para a prática d e qualquer modalidade.


O exame médico-desportivo consiste numa avaliação clínica que deve ser realizada anualmente e que inclui habitualmente dois exames ao coração: um eletrocardiograma e um ecocardiograma. Para além disso, são ainda realizados outros exames, como análises sanguíneas. Todos os atletas de alto rendimento, seleções e federados em geral devem fazê-lo antes de cada temporada e após marcação prévia, de forma a obterem os certificados médico-desportivos, atribuídos pelo Centro de Medicina Desportiva.

O nosso jornal contactou igualmente esta instituição, mas foi-nos informado que apenas o diretor desta unidade, ausente em reuniões no exterior, poderia prestar qualquer tipo de esclarecimentos, algo que não foi possível obter ontem. Pese embora os esforços, não conseguimos também falar com o treinador do Sp. Horta.

Autor: José Morgado