Os adeptos do Spartak de Moscovo que foram acompanhar a equipa no jogo da Taça da Rússia diante do SKA Khabarovsk devem ter garantido uma estátua à porta do estádio da sua equipa. É que estamos a falar de uma viagem de avião de mais de 12 mil quilómetros (ida e volta), o equivalente a ir de Lisboa a Salvador da Baía, no Brasil.

De avião, o percurso de 6.147 quilómetros demora mais de 7 horas. De carro, são quase 8.300 quilómetros, que obrigam 102 horas de condução. E há ainda a diferença horária: em Khabarovsk, uma cidade a 30 kms da fronteira com a China, já perto do Mar do Japão, são sete horas mais tarde do que na capital. Agora, multiplique-se tudo isto por dois - porque há ainda a viagem de regresso.

O mais incrível é que esta não foi a viagem mais longa de sempre de uma equipa para uma competição interna na Rússia. Há dois anos, num jogo da 2.ª divisão, houve um jogo entre o Baltika Kaliningrad e o FC Sakhalin, duas equipas que estão a cerca de 10 mil quilómetros uma da outra. A sorte foi que o Sakhalin, de uma cidade situada numa ilha a norte do Japão, desceu de divisão nesse ano.

Ah, e pior que tudo para o Spartak: a equipa perdeu por 1-0 frente ao adversário da segunda divisão e foi eliminada da Taça. É caso para dizer... mais valia ter ficado em casa.


Autor: Sérgio Krithinas