Mesmo estando lesionados, mesmo não jogando, regra geral os jogadores profissionais continuam a receber, ao fim do mês - ou fim de cada semana - o seu respetivo salário. Contudo, há quem não se sinta bem com essa situação e tenha decisivo que, quando não jogue por motivos físicos, não aceite receber o vencimento.

Foi o caso do lateral brasileiro Rafael, do Lyon, que esta terça-feira, ao 'L'Equipe', explicou por que razão, em setembro do ano passado, decidiu prescindir do seu salário por um período de um mês. O dinheiro foi pago - até porque legalmente o clube não poderia descartar aquele pagamento -, mas não rumou ao bolso do brasileiro, mas sim foi direcionado para solidariedade. Entre os investimentos feitos com essa verba esteve a aquisição de dois robots equipados com câmaras, que assim permitem a crianças hospitalizadas sentir a vibração do estádio... mesmo estando no hospital.

"Gosto de jogar e gosto de ser pago para fazer isso, mas não estava a jogar. Estou contente por ter feito isso para as crianças, mas isso foi bom para mim também, pois ajudou-me muito", explicou o brasileiro, de 26 anos, que atua no Lyon desde 2015.



Como sentir a vibração do estádio... deitado numa cama de hospital

Como sentir a vibração do estádio... deitado numa cama de hospital


Autor: Fábio Lima