O recém-eleito presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, reafirmou esta quarta-feira a convicção de que é possível reverter as alterações no formato da Liga dos Campeões em futebol, que beneficia as quatro federações mais poderosas da Europa.

"Evidentemente, não é benéfico para as federações de pequena e média dimensão. Há aspetos positivos e negativos. Terei de os analisar e tomar uma decisão. Tudo pode mudar", disse, em Londres, Ceferin, que fez da alteração ao modelo competitivo da Liga dos Campeões uma prioridade do mandato.

O dirigente esloveno, que na semana passada se tornou o sétimo presidente do organismo regulador do futebol europeu, ao vencer o holandês Michael van Praag no congresso extraordinário realizado em Atenas, já tinha afirmado que o modelo da Liga dos Campeões será "o primeiro assunto" da sua agenda.


Várias federações nacionais manifestaram-se contra o acordo anunciado a 26 de agosto pelo Comité Executivo da UEFA para o período 2018-2021, segundo o qual Alemanha, Espanha, Inglaterra e Itália têm quatro lugares com entrada direta na principal prova continental de clubes.

Autor: Lusa