Na história do futebol há muitos casos de clubes que rejeitaram jogadores que acabariam eventualmente por se tornarem craques. São vários os exemplos e esta segunda-feira o jornal 'Marca' revela o mais recente, a envolver os polacos do Légia Varsóvia e o avançado Robert Lewandowski. Corria o verão de 2008 e, na altura em busca de um avançado, o clube da capital polaca analisou as opções e acabou por preferir contratar o espanhol Mikel Arruabarrena, descartando a possibilidade de assegurar Lewandowski, dianteiro que na altura atuava no Znicz Pruszkow.

"Podem vender o Lewandowski a quem quiserem... Já temos o Arrubarrena", terá dito Miroslaw Trzeciak, então director desportivo do Legia, aos dirigentes do Znicz. Duas frases que, oito anos depois, farão certamente o dirigente arrepender-se... É que, depois, Lewandowski rumou ao Lech Poznan (por 347 mil euros) e dali partiu para o Borussia Dortmund a troco de 4,5 milhões de euros. Na Alemanha tornou-se num jogador de classe mundial, com mais de cem golos marcados em seis épocas entre Borussia e Bayern Munique.

Quanto a Arruabarrena, digamos que foi um golpe de mercado autenticamente fracassado. Chegava à Polónia vindo do Tenerife e apenas por lá durou meio ano, para depois regressar a Espanha, para jogar no Eibar. De lá para cá, manteve-se no conjunto basco até à temporada passada, de onde rumou aos cipriotas do AEL Limassol. Uma bela escolha senhor Trzeciak...

Autor: Fábio Lima