Se apenas os votos dos jornalistas contassem para a eleição do vencedor da Bola de Ouro, o que vai passar a acontecer com o fim da ligação entre a publicação francesa e a FIFA, Cristiano Ronaldo e Messi não teriam a hegemonia que têm hoje no futebol mundial.

Nos últimos oito anos, o prémio de melhor jogador do mundo tem ido ou para o argentino ou para o português. No entanto, e de acordo com os votos dos jornalistas, Sneijder e Ribéry já teriam um troféu na vitrine.

Em 2010, ano que Messi venceu a sua segunda Bola de Ouro, os jornalistas discordaram dos treinadores e capitães das seleções. Para eles, o vencedor seria o holandês Wesley Sneijder, campeão italiano, vencedor da Liga dos Campeões com Mourinho e finalista do Mundial'2010.


Já em 2013, ano de consagração de Cristiano Ronaldo após 4 anos atrás de Messi, os jornalistas votaram em Franck Ribéry, jogador-chave no demolidor Bayern Munique de Jupp Henyckes, que venceu tudo na época 2012/13.

Com o fim da ligação entre a France Football e a FIFA, a hegemonia de Ronaldo e Messi poderá terminar.