"Temos de conseguir retirar um melhor rendimento de cada um e alterar o rumo das coisas!" É desta forma que Diogo Salomão encara o "momento complicado" do Maiorca. No 18.º lugar da segunda liga espanhola – apenas um acima da zona de descida –, com quatro derrotas, outros tantos empates e apenas duas vitórias, o emblema das ilhas Baleares viu o cenário agudizar-se com o afastamento da Taça do Rei, aos pés do UCAM Murcia, num jogo que até marcou a estreia do português a faturar esta época.

"Fiquei feliz por marcar, mas claro que o grande objetivo era continuarmos em prova. Infelizmente, não conseguimos. Não tem sido um início de época nada fácil, a equipa foi preparada com tempo, mas não estamos a conseguir demonstrar a qualidade que o plantel tem", admitiu o jogador, de 28 anos, a Record, sublinhando que, no entanto, "a situação não é alarmante e o foco na subida mantém-se". "É verdade que as coisas não estão a correr como esperávamos, mas estamos a quatro pontos da zona de playoff, o que não é muito. A segunda liga espanhola é bastante competitiva, se perdemos dois jogos, estamos no fundo da tabela, mas se ganhamos outros dois voltamos ao topo", frisou.

Confiança intacta

Herói com nome na história do Deportivo da Corunha, após ter assinado, em pleno Camp Nou, frente ao Barcelona, o golo decisivo, que acabaria por garantir a manutenção na liga espanhola na época 2014/15, Diogo Salomão desvinculou-se do Sporting e regressou ao país vizinho a meia da temporada transata, com o intuito de voltar a triunfar, mas… com a camisola do Maiorca. No entanto, o clube acabou por falhar o principal objetivo – a subida ao principal escalão –, mas nem isso abalou a confiança de Salomão, que, apesar do cenário paradisíaco, garante não estar em Maiorca para passar férias.

"Continuo feliz no clube. Tenho a mesma ambição de quando vim para cá e quero ajudar a concretizar o sonho de voltar à primeira divisão espanhola. Tenho consciência das dificuldades, porque em 24 equipas há 18 que lutam para subir. A competitividade é muito grande, mas tenho muita vontade de realizar esse sonho", sublinhou.

Golo como ponto de viragem

E se coletivamente tem sido uma época de desilusão para Diogo Salomão, em termos individuais o panorama parece agora começar a inverter-se. "Espero que o golo na taça sirva de ponto de viragem. Não tinha tido muitas oportunidades até agora, mas os dois últimos dois jogos da taça serviram, sobretudo, para mostrar que estou bem e quero agarrar um lugar. É para isso que continuo a trabalhar com o mesmo empenho e confiança", vincou o extremo, que na próxima jornada terá pela frente o Alcorcón, onde alinha o lateral português Nélson.

Autor: Fábio Aguiar