Wayne Ryan, um adepto fanático do Manchester United, decidiu esquecer rivalidades em nome de uma criança de apenas quatro anos, de seu nome Mia Tate, que no início do ano lhe viu ser diagnosticada eucemia mieloide aguda. Assim, este fim de semana, a escassos dias do duelo com o Liverpool, marcado para segunda-feira, Wayne tomou a iniciativa e tatuou o símbolo dos reds no seu gémeo, procurando com este gesto chamar a atenção para o problema da pequena Mia e, assim, garantir fundos para o seu tratamento.

"Nem sequer tenho uma tatuagem do United! Os meus amigos chamam-me 'maluco', mas todos têm crianças e percebem que isto é por uma boa causa", explicou o adepto do Manchester United, que foi tatuado por um fã do... Liverpool.

"Senti-me doente quando estavam a tatuar... O tatuador disse-me que ia fazer questão de que aquilo doesse o máximo possível. Não me veriam com uma camisola do Liverpool nem por um minuto, pelo que isto é mesmo algo importante. Mesmo assim, pela família da Mia, faço isto. Ela está em casa agora, com a sua mãe e pai, enquanto se fazem testes de medula óssea", revelou.

E como se sente um adepto do Man. United em transportar, inscrito na sua pele, o símbolo do maior rival? "Sinto-me realmente estranho ao olhar para ela, mas apenas tenho de pensar qual o propósito dela... Decidi escolher esta tatuagem porque, para mim, é a mais brutal que poderia escolher", explicou.

Para ajudar a divulgar a história e procurar garantir alguns donativos, Wayne Ryan irá passar a andar sempre de calções, com a tatuagem à mostra e, sempre que possível, com alguma camisola com ligações ao Man. United. A ideia passa por chamar a atenção das pessoas, para que estas o abordem e o questionem sobre aquela 'combinação'. Daí, Ryan espera ter oportunidade de explicar a situação e, dessa forma, garantir novas doações.

Autor: Fábio Lima