No final do encontro com o Trofense da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, encontro que o V. Setúbal venceu por 4-3 na marcação de penáltis, José Couceiro deixou uma crítica à FPF.

"Deviam ceder as bolas aos clubes que vão jogar fora. Numa competição dita profissional não podemos ser amadores. No passado, as duas equipas jogavam cada uma das partes com uma bola diferente, mas agora somos obrigados a jogar com as da equipa da casa", afirmou o treinador.

Ora, o artigo 52.º dos regulamentos da Taça de Portugal que regulamenta a questão das bolas esclarece que "com sete dias de antecedência deve o clube visitado informar o clube visitante da marca e modelo da bola a utilizar no dia do jogo". E esclarece no ponto 2: apenas "a marca e o modelo da bola oficial dos jogos das meias-finais e da final da Taça de Portugal são publicadas, em cada época desportiva, no Comunicado Oficial n.º 1", bola fornecida aí pela FPF e de "utilização obrigatória para os clubes participantes" nesses mesmos encontros.

Autor: Sofia Lobato