Depois de três temporadas em Portugal ao serviço do Marítimo, entre 2010 e 2013, Rafael Miranda chegou este verão a Guimarães para assumir o mesmo papel que lhe fora destinado na Madeira. O médio é o patrão do meio-campo do Vitória e funciona como uma espécie de extensão do treinador dentro das quatro linhas. A partir do próximo domingo, após o jogo com o Moreirense, vai passar a integrar o grupo dos centenários na 1ª Liga, gozando de um estatuto que, pela sua forma de estar em campo (e fora dele), já parece ter há muito tempo.

A importância de Rafael Miranda dentro do relvado vai para além daquilo que é normalmente exigido por um treinador a um jogador, sendo que o médio tem ainda um papel determinante junto do seu companheiro de sector. Ao contrário de Rafael Miranda, João Pedro está ainda a dar os primeiros passos no futebol sénior e atuar ao lado de alguém que já conta com tantos jogos é a forma ideal para o poder evoluir.

Autor: José Miguel Machado