José Roquette, ex-presidente do Sporting entre 1996 e 2000, foi ontem ouvido pela Comissão de Auditoria, na sequência da auditoria de gestão às contas do dos mandatos anteriores.

Numa reunião que decorreu no Estádio de Alvalade e durou mais de três horas, Record sabe que Roquette foi ouvido pela Comissão de Auditoria – composta, entre outros, por Bruno de Carvalho e Jaime Marta Soares, presidente da assembleia geral – num clima de total convergência, em que imperou o diálogo e cooperação. José Roquette, hoje com 79 anos, analisou então diversos dossiês relativos ao seu mandato como presidente do Sporting e explicou algumas decisões que, para a direção de Bruno de Carvalho, não estavam devidamente fundamentadas e necessitavam de ser clarificadas.

Ao que o nosso jornal também conseguiu apurar, a Comissão de Auditoria ficou convencida com a explanação do antigo presidente do clube e ainda que as duas partes saíram extremamente satisfeitas com o desfecho da reunião, embora o Sporting não se tenha pronunciado sobre a matéria. No fundo, a Comissão de Auditoria e José Roquette esclareceram todos os pontos divergentes relativos a uma gestão que ficou ligada à conquista do campeonato nacional 18 anos depois (1999/2000).


Antigo presidente satisfeito

Se da parte do Sporting não houve qualquer posição oficial sobre o desfecho da reunião, José Roquette foi algo evasivo em relação ao tema. Ainda assim, e apesar de ter assinado um acordo de confidencialidade que o obriga a não revelar detalhes sobre o processo, deixou transparecer que não houve qualquer divergência, bem pelo contrário, e que as partes saíram satisfeitas desta primeira reunião.

"Existe confidencialidade para com os trabalhos desta comissão, o que me impede de me pronunciar publicamente", começou por explicar José Roquette aos jornalistas presentes, prosseguindo com uma mensagem bem clara: "O Sporting tem os seus interesses a ser tratados. Sempre que se caminhe para um entendimento, todos os sportinguistas se podem dar por satisfeitos", afirmou o antigo presidente dos leões, que foi o primeiro a sair de uma reunião no âmbito da auditoria de gestão às contas dos mandatos anteriores levada a cabo pela atual direção.

Próxima audição será já dia 27

A Comissão de Auditoria vai voltar a reunir-se já no próximo dia 22, desta vez para ouvir Dias da Cunha e depois Soares Franco. Tal como sucedeu com José Roquette, a reunião vai servir para estes dois antigos presidentes explicarem algumas decisões tomadas durante os respetivos mandatos. Já Godinho Lopes será recebido pela Comissão de Auditoria no dia 27 para, também ele, ser ouvido, entre outros, por Bruno de Carvalho, o seu sucessor no cargo de presidente do Sporting.

Autor: Alexandre Moita