O Legia Varsóvia, adversário do Sporting no Grupo F da Liga dos Campeões, anunciou esta quarta-feira o fim das viagens organizadas por grupos de adeptos do clube da capital polaca, na sequência dos incidentes ocorridos na terça-feira, em Madrid, dos quais resultou a detenção de 13 elementos radicais das claques.

Um porta-voz do clube polaco, Seweryn Dmowski, explicou através da sua conta na rede social Twitter, que o Legia Varsóvia tomou esta decisão de "forma unilateral", sem ingerência da UEFA e sem consultar os membros das claques.

Segundo a 'Marca', os incidentes que conduziram à detenção destes 13 elementos, identificados como radicais, ocorreram antes do encontro, nas imediações do Estádio Santiago Bernabéu, para onde a Polícia Nacional espanhola destacou um efetivo de 2.000 homens.

Recorde-se que quando, a 2 de novembro, o Real Madrid visitar Varsóvia, o encontro decorrerá à porta fechada, por decisão da UEFA, que puniu com um jogo sem público os comportamentos racistas e utilização de material pirotécnico por parte dos adeptos do Legia, na partida da 1.ª jornada, a 14 de setembro, frente ao Borussia Dortmund.

Autor: João Lopes