Diante do Borussia Dortmund, na terça-feira, Jorge Jesus será forçado a ver o jogo a partir da bancada, naquele que será o seu segundo jogo de castigo em face do ocorrido na primeira partida do Grupo F da Champions, diante do Real Madrid. Ora, o técnico leonino admite ter alguma culpa, mas refere que a aplicação de um segundo jogo deve-se à intervenção de um delegado português da UEFA (Jorge Baptista).

"Vou ver o jogo no estádio, em princípio. Acho que ainda não é proibido... Aquilo que o jogo ditar, o momento, será uma decisão de um dos meus colaboradores, pois o resto já está tudo programada, tendo sido trabalhado durante a semana. Espero que seja o meu último jogo de castigo. E se estou de fora no primeiro jogo, posso ter alguma culpa, mas o segundo jogo de castigo... teve alguma mãozinha de um delegado português que me prejudicou", atirou, em conferência de imprensa.

Autor: Fábio Lima