Elias pode atingir frente ao Rio Ave um marco simbólico com a camisola do Sporting. O médio, de 27 anos, contabiliza até agora 49 jogos, 33 da época passada mais 16 da campanha em curso.

Quando voltar a ser utilizado por Franky Vercauteren, o que salvo desenvolvimento de última hora deve acontecer já este sábado em Vila do Conde, o ex-Atlético Madrid alcançará a meia centena de encontros de leão ao peito, um número que ganha significado particular, ou não estivesse o camisola 77 na iminência de deixar de envergar o emblema verde e branco. Ou seja, o jogo 50 arrisca-se a ser, até, por capricho, o mesmo da despedida de Elias, assim se concretize um dos cenários de transferência que tem sido apontado desde há semanas, nomeadamente do Brasil ou da Rússia.

No seu país de origem, o centro-campista tem sido associado ao Flamengo, mas existem outros clubes atentos à possibilidade de repatriarem o internacional brasileiro. Já no leste da Europa, é público o interesse do Anzhi Makhachkala, pois o próprio diretor-desportivo do clube, Roberto Carlos, já assumiu que gostaria de contar com o compatriota.

Certo é que Elias é um dos jogadores que encabeça a lista de possíveis saídas de Alvalade na reabertura do mercado, em janeiro. Um ano e meio depois de ter sido contratado, o reforço mais caro de sempre da história do Sporting (8,85 milhões de euros) já prepara o adeus, à porta da meia centena de jogos mas com pouco de bom para recordar na passagem por Lisboa. O desequilíbrio existente na relação do ordenado (dos mais elevados) com o rendimento desportivo (muito aquém do esperado) ajuda a perceber o porquê de um dos capitães de equipa ser forte candidato a abandonar os leões nas primeiras semanas de 2013.

Do brilho ao eclipse

Elias chegou ao Sporting no fecho da janela de transferências no verão de 2011 e marcou ao Paços de Ferreira, na estreia. Apesar de não poder ser utilizado na Liga Europa (porque já jogara pelo Atlético Madrid), o brasileiro depressa se tornou referência do meio-campo. Uma exibição pobre na final da Taça de Portugal (substituído ao intervalo) acabaria, no entanto, por lançar as bases para um segunda época dececionante. O golo que decidiu o Troféu Cinco Violinos, a 12 de agosto, resiste ainda como a melhor imagem de Elias em 2012/13.

Custa em média 180 mil euros/jogo

• Os 8,85 milhões de euros pagos ao Atlético Madrid tornam Elias a contratação mais cara de sempre do Sporting. Se se dividir este valor pelos jogos disputados pelo médio brasileiro, verifica-se que cada partida que disputou custou um pouco mais de 180 mil euros. O camisola 77 tem cláusula de rescisão de 40 milhões de euros. O objetivo dos leões será salvaguardar o investimento e libertar um salário dos mais altos do plantel.

NÚMEROS

49 partidas realizou Elias de leão ao peito – 33 na época passada, 16 nesta temporada. Foi sempre titular, exceto na estreia de Vercauteren, quando saiu do banco para render Rinaudo.

4 golos marcou o camisola 77 desde que aterrou em Alvalade. Três na época passada (P. Ferreira, Académica e Nacional) e um na presente (Horsens). Foi expulso uma vez.

40 milhões de euros é o valor da cláusula de rescisão do médio brasileiro que tem contrato até 2016 e custou 8,85 milhões de euros aos cofres do clube .


Temas