Todos o conhecem no mundo do futebol como Chuta-Chuta, mas talvez não sejam muitos os que sabem de onde vem a alcunha de Bruno César. Em entrevista ao "Expresso", o médio brasileiro do Sporting apontou o responsável pelo seu 'cognome' que vem dos tempos em que alinhava no Corinthians: Ronaldo... o Fenómeno. 

"Chamava-me o Chuta-Chuta da Estrela e pegou. Não é que eu chutasse para onde estava virado, mas a verdade é que uma das minhas primeiras opções era rematar. E às vezes ele ficava bravo! (...) Eu era muito novo e queria mostrar serviço. Nessa altura, ele já estava numa fase descendente, não estava muito a fim de jogar, as lesões já atrapalhavam. Foi um ano marcante: joguei com ele e com Roberto Carlos", afirmou ao semanário.

O jogador dos leões, de 27 anos, voltou a apontar o papel que Jorge Jesus - "gente boa, tranquilo, diferente daquilo que mostra dentro de campo", sublinhou - teve e tem na sua carreira. "Fez muito por mim. Se sou hoje o jogador que sou é por causa de Jesus. Aprendi muito com ele e tudo o que conquistei no futebol, a minha ida à seleção do Brasil, ter jogado três Ligas dos Campeões, devo principalmente a Jesus. Por me ter ajudado, por me ter resgatado ao Estoril e agora dar-me mais uma vez a oportunidade de estar num clube grande, como é o Sporting", disse, assumindo ainda que em Alvalade se sente "mais acarinhado" do que no Benfica.

"Deram-me mais apoio. É como se os adeptos jogassem connosco, principalmente em Alvalade. Tenho mais prazer em jogar aqui. Mas acredito que seja também por estar mais maduro".

Autor: Sofia Lobato