Nuno Capucho era naturalmente um técnico satisfeito quando este domingo surgiu perante as câmaras da Sport TV, na flash-interview, após o embate com o Sporting, que o Rio Ave venceu, por três bolas a uma.

"Se o jogo tivesse só 45 minutos diria que a nossa exibição foi perfeita. Não deixámos o Sporting jogar, embora eles tivessem tido uma oportunidade, num remate de fora da área. Na primeira parte, criámos bastantes oportunidades, a equipa teve um ritmo forte, não deixou o Sporting jogar e controlou o jogo", analisou o jovem técnico do Rio Ave, admitindo que o segundo tempo foi um pouco diferente.
Capucho feliz com os seus jogadores

"Na segunda parte demos mais iniciativa de jogo ao Sporting. O Sporting é uma equipa que luta pelo título, temos de valorizar o que eles têm feito, mas o mais importante é o carácter e a atitude da minha equipa demonstra. E aquilo que eu lhes pedi, exclusivamente neste jogo, foi que eles fizessem aquilo que eles fazem diariamente e transpusessem para o campo. Eles fizeram isso e a equipa foi mais forte, foi boa e os 3 pontos são merecidos", reforça o treinador do Rio Ave.

Mas, afinal, segundo o técnico, qual foi a chave do sucesso da sua equipa? 


"Nestes jogos equilibrados, um pequeno pormenor define a situação. Os meus jogadores mostraram arrogância, não tiveram medo dos jogadores do Sporting e enfrentaram-nos no um contra um. Criámos situações, rematámos de fora da área, rematámos dentro da área, marcámos 3 golos e podíamos ter feito mais", argumenta Nuno Capucho, recordando que foi 'apenas' uma vitória. Há que dar sequência.

"Mais importante é aquilo que eu digo: para mim são só 3 pontos que contam . Só faz sentido esta vitória, se nós, contra o Paços de Ferreira, mantivermos este nível", reforça o técnico, fazendo uma análise do desempenho de Gil Dias, apesar de não gostar de análises individuais: "Eu acredito nele e se ele acreditar tanto como eu acredito nele, as prestações dele vão ser ainda melhores!"

Após evitar comparações com a temporada passada, Capucho conclui a flash-interview, falando de coisas positivas, que sempre vêm ao de cima, quando se ganha. "O que interessa é o futuro. Eles acreditam, trabalham diariamente a top, são jogadores que podem atingir outros níveis. Também referi e disse-lhes que para mim a realidade é jogar Champions, é ter o estádio cheio como hoje esteve. Isso para mim é futebol, é uma atmosfera boa e, quando essa imagem é passada, o futebol sai defendido", conclui o treinador do Rio Ave.

Autor: João Lopes