Pinto da Costa reiterou que o FC Porto poderia ter fechado o seu exercício de 2015/16 com saldo positivo, se assim o entendesse. Na ressaca do triunfo do FC Porto em Bruges, o presidente azul e branco disse que tal só não aconteceu por opção da SAD, em nome da continuidade de André Silva, Herrera e Danilo Pereira.

"Temos provas de que tivemos a possibilidade de vender três jogadores e encaixar 95 milhões de euros. Aí [os adeptos] estariam todos satisfeitos, a dizer que tivemos um saldo positivo. Fizemos uma opção, que foi manter os jogadores, e em Bruges essa opção mostrou alguns resultados", referiu, lembrando que a SAD "tem capitais próprios positivos, portanto a situação não é alarmante".

Sobre a carreira desportiva da equipa, Pinto da Costa regozijou-se pela resposta dada pelos dragões às dificuldades vividas na Bélgica. "Foi um grande jogo. Não entrámos com aquela segurança que queríamos, mas a equipa reagiu e fez uma segunda parte que chegou a ser uma autêntica cavalgada, a que todos se renderam. Foi uma vitória justíssima, teve fases de jogo excelentes e sobretudo a equipa mostrou que quer, quer mesmo, que é uma equipa à FC Porto", afirmou.

Autor: André Monteiro