Nuno Espírito Santo espera recolocar o FC Porto no trilho das vitórias, esta sexta-feira, na receção ao Boavista (19 horas). O técnico reconhece a importância que reveste a partida e salienta que se trata de "um dérbi histórico".

"É um jogo especial para nós e para a cidade do Porto. É um dérbi histórico, que queremos ganhar. O Boavista é uma equipa agressiva e competitiva, como o demonstrou em Braga [n.d.r na 4.ª jornada, triunfo do Sp. Braga frente ao Boavista, por 3-0]. Não podemos descurar a qualidade deles, mas estamos essencialmente focados em nós. Não queremos que a nossa vontade de vencer fique só pelas palavras, mas sim se traduza nas ações", começou por dizer o técnico portista, referindo-se depois à série de resultados irregulares que os dragões registam.

"Sabemos que o campeonato é uma maratona. O mais importante não é como começa, mas sim como acaba. Sabemos o que estamos a construir e acreditamos que o trabalho dará os seus frutos no futuro. Acima de tudo temos que estar unidos, entre o clube e adeptos. Queremos que o Dragão seja uma fortaleza e é determinante para nós sentir o apoio da massa associativa", salientou.


Quanto a Maxi Pereira, de regresso aos treinos, o técnico preferiu 'esconder o jogo'. "O Maxi já treinou, mas temos mais um treino pela frente antes do jogo. Se vai ser convocado? São decisões para tomar amanhã", atirou.




Autor: Ricardo Granada