A polémica em torno da rescisão de Helton com o FC Porto conheceu esta segunda-feira mais um episódio. Os dragões publicaram o acordo assinado pelo guarda-redes, datado de 15 de setembro. Ora, praticamente um mês depois, o guarda-redes viria a público dizer que não sabia que tinha rescindido.

Recordemos, pois, a sucessão dos acontecimentos:


- 27 de junho:

Helton é informado pela nova equipa técnica de que não entra nos planos para a temporada 2016/17.

- 28 de junho:

A SAD e o guarda-redes publicam um comunicado conjunto no qual confirmam o fim da ligação entre as duas partes.

- 15 de setembro:

Helton assina a rescisão de contrato, juntamente com os administradores Adelino Caldeira e Fernando Gomes. Esta informação seria divulgada pelos dragões esta quinta-feira.

- 12 de outubro:

O FC Porto divulga as contas de 2015/16, onde afirma ter gasto 4,3 milhões de euros em indemnizações, entre as quais a referente à "rescisão do contrato de trabalho do jogador Helton"

- 13 de outubro:

Helton responde a vários seguidores no Instagram, mostrando-se surpreendido pela rescisão: "Não me informaram de nada" e "Ainda estou um pouco assustado por saber pelos jornais" foram alguns dos comentários feitos pelo brasileiro.

No mesmo dia, o guarda-redes sentou-se à mesa com o presidente Pinto da Costa, no sentido de esclarecer o assunto.

- 14 de outubro:

Helton publica um vídeo no Facebook no qual confirma a conversa com Pinto da Costa: "Consegui de alguma forma ser esclarecido sobre várias situações das quais não tinha conhecimento". O guarda-redes diz também que não acredita ter existido má-fé por parte do FC Porto no caso, afirmando ainda que não quer "trazer problemas a ninguém".

- 17 de outubro:

O FC Porto torna pública uma imagem do acordo para a rescisão de contrato, assinado a 15 de setembro por Helton e pelos representantes da SAD.

Autor: Luís Miroto Simões