O Gafanha ainda não sabe se o FC Porto vai ou não ceder a sua parte da receita relativa ao encontro da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, disputado no último sábado, no Estádio Municipal de Aveiro. Após a partida, o presidente João Paulo Ramos revelou uma conversa com Pinto da Costa onde essa porta ficou entreaberta.

Em causa está uma verba a rondar os 25 mil euros, correspondente a cerca de um terço da receita total (o outro terço fica para a FPF), que o líder do Gafanha revela a Record que "viria na altura certa".

O emblema de Ílhavo, que milita no Campeonato Nacional Prio, disputou a partida com os dragões no Estádio Municipal de Aveiro, de forma a permitir a transmissão televisiva. Acabou por ficar com a responsabilidade de toda a organização, algo que, naturalmente, acarretou algumas despesas extraordinárias.

Por isso, João Paulo Ramos defende uma alteração no modelo de distribuição de receitas dos jogos da Taça de Portugal. "Se, na 3.ª eliminatória, os clubes da 1.ª Liga são obrigados a jogar fora, então as receitas deveriam ser na íntegra para as equipas da casa, pois seria uma forma de ajudar e melhor também o futebol não-profissional", explicou.


Autor: Sérgio Krithinas