Tendo sido por opção decorrente do empate consentido frente ao Copenhaga ou por gestão da condição física dos jogadores, a verdade é que Nuno Espírito Santo promoveu uma alteração radical no meio-campo em Tondela, com as consequências que se percebem, dado tratar-se do sector que movimenta toda a equipa.

Danilo Pereira, Héctor Herrera e Óliver Torres cederam os seus lugares a Rúben Neves, André André e Brahimi. Um furacão que se fez sentir não apenas ao nível dos intervenientes como também do sistema tático, que passou do 4x3x3 para o 4x4x2. Tudo indica que o meio-campo volte ao seu formato mais habitual na receção ao Boavista, o que vai conferir mais uma mexida.