O FC Porto teve de suar para vencer o Club Brugge, na Bélgica, mas esse desafio também serviu de teste à capacidade de reação da equipa, que mais uma vez viu o adversário adiantar-se no marcador. A prova acabou por ser superada face à reviravolta conseguida no marcador, a terceira da presente temporada, em cinco possíveis.

Nos 13 jogos oficiais disputados esta época, o FC Porto sofreu golo primeiro do que o adversário em cinco deles (!), mas só num é que perdeu mesmo. De resto, alcançou um empate e três vitórias, num sinal de que esta equipa tem arte na dança do vira.

Recorde-se que a incapacidade de virar resultados foi um problema profundo num passado não muito distante. No ano e meio em que Julen Lopetegui esteve no comando técnico do FC Porto, a equipa só conseguiu uma reviravolta e isso aconteceu à... 12º tentativa.

De resto, os golos de Miguel Layún e André Silva permitiram que o FC Porto somasse a sua primeira vitória neste Grupo G da Liga dos Campeões. Os dragões passaram a ter 4 pontos, mas o apuramento para os oitavos-de-final está longe de ser um dado adquirido, conforme revela o histórico dos azuis e brancos nesta competição.

Esta é a sétima vez que o FC Porto dobra a terceira jornada da fase de grupos com 4 pontos, sendo que nas seis anteriores edições em que isso aconteceu, acabou por apurar-se em três delas (2001/02, 2003/04 e 2006/07) e ficou pelo caminho em outras tantas (1995/96, 1998/99 e 2011/12). 


Autor: Nuno Barbosa