O amarelo mostrado a Ederson no encontro da Taça de Portugal entre o 1.º Dezembro e o Benfica, no lance do penálti que originou o momentâneo empate do conjunto do terceiro escalão, acabou por gerar alguma polémica mas João Alves recordou a alteração à lei - que ditou o fim da tripla punição - para explicar que a decisão do árbitro foi correta, quando optou por não expulsar o guarda-redes.

"Houve uma alteração às leis e convém as pessoas saberem. Se fosse fora da área, o guarda-redes tinha de ser expulso, pois era apenas uma penalização. De outra forma, na área seria uma tripla penalização: penálti, expulsão e suspensão. Estas novas leis vêm colocar isto em questão. Dentro da área não pode ser expulso. Na minha opinião, a lei está bem feita. Já à entrada da área, se for agarrado, puxado, mesmo numa jogada menos violenta, o jogador tem de ser expulso, pois há uma intenção nítida de não jogar a bola", esclareceu o antigo jogador e treinador do Benfica no programa "Play-Off", da SIC Notícias.

Leia aqui o que diz a Lei 12 sobre este tema.