A denúncia de Bruno de Carvalho foi feita em outubro de 2015 e desde então muita água já correu debaixo da ponte. Esta terça-feira foi divulgado novo episódio com as buscas da PJ na Luz, notícia divulgada pelo 'Correio da Manhã', um ano depois do presidente do Sporting ter insinuado, durante o 'Prolongamento', da TVI24, que o Benfica subornava árbitros para obter benefícios, referindo que o clube encarnado gasta em prendas 250 mil euros por ano.

"É entregue esta prenda, aos quatro árbitros do jogo, dois delegados e um observador. Dá 28 jantares por jogo, tanto na equipa A como equipa B. Só em jantares, por ano, deve rondar 140 mil euros. E com prendas, tudo deve rondar um quarto de milhão de euros. Disseram-me que tudo isto é entregue aos árbitros e a Federação e Liga é que devem achar se isto é bonito. Nos balneários deixamos-lhes comida e vai lá o fisioterapeuta ver se estão bem", disse, na altura, o presidente dos verde e brancos.

Recorde-se que, já em junho deste ano, o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol arquivou o 'caso dos vouchers', não dado provimento aos argumentos do Sporting, que ainda tinha recorrido da decisão de arquivamento do processo. Na altura, a direção do Sporting anunciou que os leões iriam recorrer da decisão ao Tribunal Arbitral do Desporto.

Autor: Sofia Lobato