Se Jorge Jesus viu os primeiros jogos do Estoril na Liga NOS para agora preparar a melhor maneira de derrotar os canarinhos, ficou, certamente, com um dúvida: quem será o ponta-de-lança do adversário? Isto porque o treinador, Fabiano Soares, nunca repetiu o homem mais adiantado, algo que na próxima jornada pode acontecer pela primeira vez, se voltar a apostar em Bruno Gomes.

No entanto, esta alteração constante do ponta-de-lança não aconteceu por opção, mas antes porque os principais candidatos ao lugar não estavam disponíveis. Paulo Henrique lesionou-se na pré-época e ainda não foi utilizado no campeonato, mas já esteve no banco no último jogo.

Quanto a Kléber, chegou com o campeonato quase a começar e sem ritmo competitivo (nos últimos meses só se treinara nos chineses do Beijing Guoan). Sem poder jogar os 90 minutos, foi suplente utilizado em três jornadas seguidas até ser titular em Paços de Ferreira, onde se lesionou, estando agora parado.


Assim, Fabiano Soares foi experimentando as várias opções. Na 1ª jornada colocou Gustavo Tocantins no centro do ataque, posição na qual o jogador já alinhara no Brasil. Na receção ao Sp. Braga, deu uma oportunidade a Bazelyuk, mas o russo não correspondeu. Na última ronda, foi Bruno Gomes o eleito (marcara um golo anulado em Paços de Ferreira) e também ficou em branco. Ainda assim, é o principal candidato ao onze em Alvalade.

Outra hipótese para o duelo com os leões é a de o Estoril entrar sem ponta-de-lança, como fez no Dragão. Com o FC Porto, Mattheus foi o homem mais adiantado no terreno e os canarinhos seguraram o nulo... até aos 85’.

Autor: Miguel Amaro