/futebol/nacional/1a_liga/porto/
Siga-nos em: ||| Diário especializado em desporto. Diretor: João Querido Manha
  • Benfica
  • Sporting
  • FC Porto
  • Estoril
  • Nacional
  • Marítimo
  • V. Setúbal
  • Académica
  • Sp. Braga
  • V. Guimarães
  • Rio Ave
  • Arouca
  • Gil Vicente
  • Belenenses
  • P. Ferreira
  • Moreirense
  • Penafiel
  • Boavista
Tempo de afirmação
RICARDO CARVALHO GANHA ESTATUTO
quinta-feira, 3 abril de 2003 | 02:36
 

Nos últimos três encontros do FC Porto, Ricardo Carvalho foi o par do capitão Jorge Costa no centro da defesa, confirmando-se como a alternativa mais credível a Pedro Emanuel.


Nesta altura, atendendo às boas exibições de Ricardo Carvalho, enriquecidas, de resto, com um golo, o primeiro ao serviço dos dragões, na última jornada da SuperLiga, frente ao Nacional, na deslocação à Choupana, é caso para dizer que tem ganho estatuto na equipa de Mourinho. Ricardo teve na lesão de Pedro Emanuel (na primeira mão dos quartos-de-final da Taça UEFA com o Panathinaikos) uma oportunidade que soube agarrar e que, no regresso aos jogos de clube, após o interregno para os compromissos da Selecção, lança a questão quanto à dupla de centrais em que Mourinho apostará: a mais habitual (Jorge Costa/Pedro Emanuel) ou a alternativa que tão bons resultados tem dado (Jorge Costa/Ricardo Carvalho).


A partida de maior exigência estratégica é, sem dúvida, a visita da Lazio às Antas para a primeira mão das meias finais da Taça UEFA. Pedro Emanuel estará já perfeitamente recuperado em termos clínicos mas, sem dúvida, em inferior condição desportiva relativamente a Ricardo Carvalho. Um dos perigos da Lazio é o contra-ataque preparado por uma excelente coesão defensiva. É, grosso modo, um tipo de jogo muito parecido com o do Panathinaikos. Os gregos tinham na velocidade de Olisadebe um argumento de peso, correspondente a Cláudio "Piojo" Lopes na Lazio, que obriga a ter homens velozes na retaguarda. A dupla Jorge Costa/Ricardo Carvalho esteve à altura. Mais, Ricardo é muito menos faltoso que Pedro Emanuel – recorde-se que as faltas dos centrais na zona frontal à baliza foram um dos problemas a resolver por Mourinho no início da época – e bem mais consistente nas saídas para o ataque com a bola controlada.


À superfície entre os melhores


Antes de se afirmar no plantel portista, Ricardo Carvalho teve de passar por um tirocínio, o que, durante anos, foi normal nas Antas. O FC Porto sempre se serviu de excelentes centrais e , mesmo Jorge Costa, teve de rodar antes de ganhar o seu espaço nos dragões. Foi ainda no período dourado da dupla Aloísio/Jorge Costa que Ricardo Carvalho chegou às Antas, depois de uma época (97/98) no Leça, a título de empréstimo, em que confirmou ser um valor com futuro. Sem oportunidades, voltou a ser cedido a meio da época 99/2000 ao Vitória de Setúbal.


Na época seguinte manteve-se fora, no Alverca. Regressou às Antas a época passada para discutir um lugar com Jorge Costa, Ricardo Silva e o reforço Jorge Andrade. Com a saída de Jorge Costa, para os ingleses do Charlton, formou com Jorge Andrade a dupla mais utilizada por Octávio, que a considerou a melhor da Europa. Esta época saiu Andrade mas entrou Pedro Emanuel. Numa luta entre os melhores, Carvalho tem-se mantido à superfície.


Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Partilhar:
URL:
 
Pub
Partilhar
Gostou desta notícia?  Votação: 0
 
Algum erro na notícia?  Envie-nos a correção
 


Quem se apresenta, para já, em melhores condições para conquistar a Liga?

Copyright © . Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Edisport, S.A. , uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina. Consulte as condições legais de utilização.

Clicar para abrir layer Pretty Clicar para abrir layer Pretty